Sobre o exercício de ofícios numa mesma profissão (ou o que tenho pra falar pro mundo)

Sobre o exercício de ofícios numa mesma profissão (ou o que tenho pra falar pro mundo)
17 de junho de 2016 Zwei Arts
In Poemas

Tenho desenvolvido bastante a minha expressão…

Encontro nas esculturas formas ousadas e impactantes…

Gosto de pensar que a escultura é o ponto alto do meu trabalho…

Me misturo entre diferentes matérias para compor registros físicos de processos psicológicos intensos…

Busco singularizar emoções complexas…

Me experimento em busca de expansão…

Os desenhos em carvão são registros variados para formação de repertório e ordenamento interno…

Os poemas são documentos necessários para sentimentos profundos e solidões passageiras…

Me aproprio e me importo com antigos objetos atualizando lembranças…

Amplio pesquisas e composições criando caminhos para necessidades…

Os trabalhos feitos no Ateliê de São Paulo, em geral, me servem para organizar sentimentos passageiros de descontroles elaborados…

Já o Ateliê de ITU me possibilita mais movimento e liberdade para sentimentos reprimidos…

Procuro nas fotografias referências pontuais para aprimoramentos futuros…

A coleção me possibilita desenvolver novos entendimentos de sentimentos aprisionados…

O caminho entre a coleção e o meu trabalho me estabelece critérios e oportunidades…

Crio confortos para desconfortos…

Elaboro composições sobre decomposições…

As cartografias me indicam caminhos para novos acontecimentos…

Sou um artista predominantemente visual criando sentidos e interpretações subjetivas sobre sentimentos complexos…

Procuro conhecer mais sobre sentidos e significados da existência humana…

Ampliando caminhos e possibilidades para expressões e realizações…

Encontro satisfação e autossuficiência exercendo diferentes ofícios, mas numa mesma direção >

O ser humano!

Marcos Amaro